As 10 tendências de treinamento para 2018

Usar novas tecnologias e abordagens diferenciadas de aprendizagem favorece uma compreensão mais precisa sobre os meios digitais e as ferramentas de socialização e comunicação atuais. Entenda quais são as tendências de treinamento e desenvolvimento para 2018 e saiba como elas melhoram a experiência de ensino nas empresas, com expectativas de preparar os melhores profissionais.

1. Universal

O crescimento da automação em todas as indústrias permitirá reduzir as ações de baixo valor e trabalhar com muitos outros assuntos que se tornarão “Colaboradores Universais”. É um grande desafio, para os departamentos de aprendizagem e desenvolvimento, repensar sua formação inicial e continuar a desenvolver um novo conjunto de competências e de capacidades.

Ao mesmo tempo, solicitamos aos nossos engenheiros pedagógicos e aos nossos formadores que criem e distribuam caminhos de blended learning; eles devem dominar todas as modalidades (presencial e aprendizagem digital); eles se tornarão formadores universais!

2. Foco no Aprendiz

Graças a todas as modalidades disponíveis para a formação, podemos definitivamente construir um caminho de aprendizagem focado no aprendiz. Nosso primeiro foco não será mais o conteúdo, mas sim o aprendiz: engajamento, desempenho, experiência, estação de trabalho, agilidade digital … depois, poderemos criar uma formação eficiente, com mais colaborações e atividades sociais, a fim de poder compartilhar experiências. O aprendiz é uma pessoa inteligente e, graças à formação, reconhecemos essa inteligência. O conceito 70:20:10 é realmente eficaz para criar uma abordagem focada na aprendizagem. Um vídeo no Youtube, uma formação em sala de aula, um Mooc, um Laboratório de experiência, um post compartilhado no Workplace, tudo isso se tornará um conteúdo de aprendizagem.

3. Imersão

Quem nunca viu um óculos de realidade virtual em exposições de produtos para aprendizagem e desenvolvimento não sabe o que é a tendência da Realidade Virtual e da Realidade Aumentada. Todos os dias, um artigo tenta comprovar a eficiência da Realidade Virtual. Sem dúvida alguma, imergir uma aprendizagem em uma situação real é sensacional para criar emoções e para entender o que poderia acontecer na vida real.

É dispendioso criar uma Realidade Virtual; os departamentos de aprendizagem e desenvolvimento precisam descobrir outras aplicações para encontrar um bom ROI, mas nós acreditamos na Realidade Aumentada, graças ao vídeo 360°, no qual podemos integrar conteúdo, interação, avaliações. Descobrir um novo conceito, um novo produto ou formar pessoas fora de seus locais de trabalho (centro de atendimento para lojas de varejo no exterior, por exemplo) são algumas aplicações para uma formação eficiente por imersão.

4. Ecossistema

Devemos sempre aprimorar o conteúdo dos materiais, cada departamento de aprendizagem e desenvolvimento não consegue dominar todas as modalidades e todas as tecnologias, assim, ele deve criar uma rede efetiva de parceiros, o LMS integrará xAPI para poder importar novos recursos, além dos disponibilizados por seus fornecedores. Os investimentos nas empresas de aprendizagem e desenvolvimento são imensos atualmente; a cada dia, vemos startups ou organizações de ensino tradicionais levantar fundos para desenvolver uma ferramenta de ensino específica ou um catálogo de cursos; o ecossistema de aprendizagem nunca foi tão dinâmico em termos de conteúdo e de ferramentas.

A curadoria digital será a chave para cada responsável pela formação, tentar encontrar novos parceiros será um trabalho de tempo integral e nós acreditamos que ele deve estar no centro do novo ecossistema.

5. ATAWADAC

O poder digital e móvel permite uma acessibilidade contínua das aplicações de formação. O aprendiz se livra das limitações de tempo, de local e de suporte, assim, ele usará sua formação no momento desejado ou adequado durante seu dia de trabalho; ele também pode querer se isolar ou, ao contrário, se reunir com colegas para trabalhar uma sequência específica. Em termos de criação, isso significa que os conteúdos devem estar acessíveis em formatos móveis, mais curtos e legendados.

ATAWADAC: AnyTime, AnyWhere, AnyDevice, AnyContent (A qualquer momento, em qualquer lugar, em qualquer dispositivo, qualquer conteúdo)

6. Blended

Uma tendência duradora, porém uma profunda convicção. O conceito de spaced learning, ou seja, construir percursos de formação que permitam uma assimilação na estação de trabalho, graças a um espaçamento entre as sequências, encontrou uma resposta para o blended learning. Mesclamos também os métodos de aprendizagem, de acordo com os objetos pedagógicos: vídeo, e-learning, coaching, aula virtual, realidade virtual, conferência TEDx …

Nunca foi tão fácil elaborar um caminho misto, graças às novas plataformas que integram todos esses conteúdos em um caminho coerente, do ponto de vista do aprendiz.

7. Personalização

O tamanho único não serve em todo mundo! A formação em prateleira está fadada a desaparecer… isso pode fazer rir ou chorar, mas tenho a convicção de que os catálogo de e-learning estão com os dias contados.

Cada aprendiz, com base em sua experiências, seus desempenhos, na empresa em que trabalha, em seu ambiente de trabalho, seu país, sua cultura, precisa de um conteúdo mais adaptado. Além disso, o conteúdo na Web nunca foi tão rico, cada um aprende de modo informal, sem esperar por um conteúdo de prateleira ditado pela empresa. As empresas devem preparar seus colaboradores para que evoluam rapidamente, em um contexto econômico, tecnológico e social em plena ebulição; o que diferenciará uma empresa da outra serão os valores e sua cultura, por meio de formação personalizada em gerenciamento, na relação com o cliente, na comunicação… atualmente, a relação com o cliente é personalizada, de modo que ele tenha uma experiência memorável e se prenda à marca: escolhemos entre várias opções para termos um único automóvel, por que um funcionário não poderia ter uma formação única?

8. ROI

Os países anglo-saxônicos estão à frente em termos de ROI em formação, de fato, os franceses, por exemplo, são mais ligados ao Como do que ao Por quê, embora esta tendência esteja se tornando cada vez mais comum.

Os trabalhos de Kirkpatrick* são, neste sentido, sempre atuais, são ferramentas disponibilizadas ao nível dos multiplicadores, que tornam a avaliação da eficiência ainda mais eficaz

Assim, a avaliação da satisfação está cada vez mais digital, o que permite uma reação mais rápida; a avaliação das competências pode ser gamificada, o que a torna mais lúdica e mais atraente; a avaliação da transferência de conhecimento na estação de trabalho é feita pelo gerente, com um acompanhamento on-line mais preciso das competências a serem adquiridas durante a formação; a avaliação dos resultados e o impacto sobre a empresa são claramente melhor definidos a montante, portanto, mais fáceis de serem acompanhados; enfim, a avaliação do ROI puro (custos vs. lucros ou economia) é analisada graças ao KPI de desempenho.

9. Emoção

A formação deve ser prazerosa, portanto, uma formação eficiente deve causar emoções. Usaremos o storytelling para criar uma proximidade entre o conteúdo e o aprendiz, para que eles possam se identificar e se projetarem na ação. O humor continua sendo uma ferramenta importante para a associação e a memorização; os melhores formadores e os melhores conteúdos digitais integram, assim, sequências mais humorísticas. Já que o humor não é um talento inato para os formadores, os desenvolvedores pedagógicos devem integrar esses momentos de respiração positiva.

10. Inteligência Artificial

Em 2016, um futurista disse que a maior empresa do mundo será uma empresa de treinamento. De fato, a AI se integra em nossas vidas a uma velocidade sem precedentes; será necessário preparar o homem, em geral, e o funcionário, em particular, para evoluir com ferramentas muito mais inteligentes; as tarefas diárias serão consideravelmente desarranjadas, a formação se tornará essencial para que ele mantenha seu emprego, pilote essa inteligência, interaja com os outros. A comunicação interpessoal se tornará uma competência de valor agregado extremamente alto.

Esse impacto social também toca o coração da formação; o IA vai transformar a função do formador, permitindo que ele construa formações que sejam realmente adaptadas a cada pessoa. As primeiras experiências com chatbot para formação surgiram e suas aplicações são formidáveis, seja a montante da formação, para interpelar, seja a jusante, para complementar a formação.

Estas são as 10 das muitas tendências que definem o ecossistema de aprendizagem dentro de uma empresa. Uma determinada tendência chamou sua atenção? Você tem uma perspectiva diferente sobre essas tendências? Você gostaria de mais informações sobre esses pontos? Estamos ansiosos para ouvir de você e sua opinião!

*O modelo Kirkpatrick é o padrão mundial para avaliar a eficácia do treinamento. Define o valor de cada tipo de treinamento – formal ou informal – de acordo com quatro níveis: Reação, Aprendizagem, Comportamento e Resultados.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *